Adepam participa de posse de novos defensoras e defensores públicos no Amazonas

MANAUS – A Defensoria Pública do Estado do Amazonas (DPE-AM) empossou, na tarde desta terça-feira (30), mais nove defensoras e defensores públicos que irão atuar no estado reforçando o atendimento da instituição, sobretudo no interior do Amazonas, onde está prevista a implantação de novos polos de atendimento do cidadão.

A cerimônia, que também comemorou o aniversário de 31 anos de atuação da Defensoria Pública no Amazonas, ocorreu no plenário Ruy Araújo, na Assembleia Legislativa do Estado do Amazonas (ALE-AM), com o número restrito de presentes em cumprimento às medidas de prevenção ao Covid-19, e foi transmitida ao vivo pela internet através do canal da Defensoria no YouTube.

Foram empossados para o cargo de defensora e defensor público: Flávia Araújo da Silva; Bruna Costa de Farias; Camila Campos de Souza; Mariana Silva Paixão; Yaskara Xavier Luciano Lucena; Ana Laura Migliavacca de Almeida; Leandro Antunes de Miranda Zanata; André Azevedo Beltrão; e Candido Leonardo Mariano Costa Silva.

A Associação das Defensoras e Defensores Públicos do Estado do Amazonas (Adepam-AM) esteve presente na solenidade na representação do presidente da associação, Arlindo Gonçalves, que iniciou seu discurso pedindo um minuto de silêncio em respeito às vidas ceifadas pelo novo coronavírus. Somente no Amazonas, já morreram quase 12 mil pessoas em decorrência da doença.

O presidente da Adepam, que participou da solenidade no formato virtual, aproveitou para destacar o papel das defensoras e defensores do Amazonas no enfrentamento das questões sociais envolvendo a pandemia, assim como a necessidade de adaptação para uma nova dinâmica de trabalho. “A Defensoria se adequou a esta nova realidade, de distanciamentos e adoecimentos, e manteve-se atuante, sem parar um dia sequer durante toda a pandemia.

Esteve sempre atuando tanto na capital, quanto no interior, na busca por um leito de UTI, por oxigênio para viver, por dignidade, para pacientes e familiares, que viveram possivelmente o pior cenário imaginado para a pandemia”, afirmou.

Ainda na solenidade, Arlindo aproveitou para parabenizar as novas defensoras e defensores públicos empossados, e lamentou não poder participar de forma presencial na cerimônia de posse.

“Aos novos colegas defensores públicos, que hoje tomam posse, neste momento, reitero a todas minhas escusas por não estar junto, no mesmo recinto, nesta solenidade tão importante. Espero que despertem o coração verde que certamente vocês trazem consigo, e se realizem na carreira. Neste momento, de início a uma nova fase na vida de cada um de vocês, desejo a todos coragem, humildade e empatia. Sabemos que não é fácil deixar sua cidade natal, em mudança para um Estado tão diferenciado e tão distante da família e amigos. A Adepam lhes dá as boas-vindas, e, em nome da Associação das Defensoras e Defensores Públicos do Estado do Amazonas, e juntamente com a diretoria e conselheiros, me coloco à disposição de Vossas Excelências para juntos, lutarmos por uma Defensoria Pública cada vez mais forte e mais próxima de nosso povo”.

Com a posse dos novos defensores, a Defensoria Pública no Amazonas passará a contar com 130 defensores e defensoras, que terão a missão de levar assistência jurídica gratuita e integral à população que mais necessita, em vários municípios do Amazonas.

Criada em 30 de março de 1990, por meio da Lei Orgânica Complementar N° 01/90, e Defensoria Pública do Estado do Amazonas (DPE-AM), nasceu com o objetivo de oferecer assistência jurídica gratuita e de qualidade a pessoas de baixa renda.

Ela foi a segunda criada no país e a primeira da região Norte. No entanto, até 1990, a única Defensoria efetivamente constituída era a do Rio de Janeiro. No Amazonas, o Estado prestava assistência jurídica à população carente com os advogados de ofício, lotados no extinto Departamento de Assistência Judiciária.

Tem direito aos serviços da Defensoria toda pessoa que não possua condições financeiras de pagar pelas despesas de um processo judicial. Nesse caso, o critério não é o valor do salário, necessariamente, mas se as despesas do assistido e de sua família permitem a contratação de advogado. Além disso, a DPE-AM promove a defesa dos direitos humanos e de grupos em situação vulnerável.

A cerimônia contou com representantes do Ministério Público do Estado, Governo do Amazonas, Prefeitura de Manaus, deputados estaduais, além do Defensor Público Geral do Estado do Amazonas, Ricardo Paiva, que falou sobre a ampliação do quadro de defensores no interior do estado. “Muito nos orgulha dizer que a atuação de defensores e defensoras públicas aguerridos, presentes e atuantes nos municípios foi primordial para atender famílias atingidas pela covid-19, isso demonstra a preocupação da defensoria com a população, e sem dúvida ainda podemos fazer muito mais”, destacou.

Os novos defensores devem passar por curso de formação na carreira, e posteriormente passarão a atuar em polos do interior do Estado. Ao final do evento, todos os novos empossados confirmaram suas filiações na Adepam.

***Com informações de assessoria

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Leia Também

Galpões dos bois de Parintins geram empregos e renda na ilha

Os bois Caprichoso e Garantido, juntos, geram aproximadamente 5 mil empregos diretos Além da importância cultural, o Festival de Parintins também é um motor que impulsiona o crescimento de emprego e renda na Ilha Tupinambarana. Este ano, por meio de trabalhos coordenados pelo Governo do Amazonas, o espetáculo deve gerar 2,4 mil empregos diretos e […]

Powered by Mixplano Digital  © 2020 Impacto Amazonas